CMPC Celulose Riograndense migra para a nuvem do Google e alcança mais produtividade e economia

A CMPC Celulose Riograndense, unidade do grupo chileno CMPC, migrou todas as suas 1.100 contas de e-mail para a nuvem do Google. O projeto fez parte de uma iniciativa realizada em toda a corporação na América Latina, envolvendo um total de 15.000 contas.

A migração iniciou pela sede do grupo, no Chile, em março deste ano, conduzida pela Orion, uma Google Partner norte-americana. Ao chegar no Brasil, a TI da unidade CMPC, localizada em Guaíba, no Rio Grande do Sul, percebeu a necessidade de adotar um parceiro local para dar suporte aos serviços, além de realizar atividades inicialmente não inclusas no escopo da Orion e prestar treinamentos aos usuários.

Foi quando a empresa contratou a ilegra, de Porto Alegre. “A ilegra já havia prestado outros serviços para a CMPC anteriormente e também já havia nos apresentado a plataforma Google”, conta Rafael Gonçalves, Especialista em Infraestrutura da CMPC.

A CMPC adotou todos os aplicativos da plataforma Google. De acordo com Gonçalves, o maior ganho foi trazido pelas ferramentas de colaboração, como Google Drive, Hangouts e toda a parte de Google Sites, que tornaram ágeis processos antes morosos.

“Hoje, temos reuniões online, interatividade para apresentações, agilidade. Por exemplo, estou dando andamento a um projeto com uma empresa de São Paulo que também está na plataforma Google e tudo é controlado em cima dos aplicativos. Então, analisamos, trabalhamos e compartilhamos documentação pelo Drive, compartilhamos e discutimos atas de reunião online, fazemos reuniões via Hangouts, fazemos apresentações e já promovemos as alterações necessárias na própria plataforma. Foi um ganho de produtividade muito grande”, comenta o especialista.

A plataforma Google também foi muito bem aceita pelos usuários. Conforme Gonçalves, a empresa esperava que fosse um processo lento, com solução gradual de problemas de usabilidade. Entretanto, dos mais de 500 colaboradores treinados, cerca de 50% já utilizavam o Gmail em casa, já estavam acostumados a compartilhar informação e usar ferramentas flexíveis e acessíveis em dispositivos móveis.

Tanto que, com a nova plataforma, algumas regras e restrições da empresa acabaram sendo extintas, como a restrição de acesso a e-mails corporativos fora da empresa a apenas alguns grupos de colaboradores. Após a migração para a nuvem, o acesso foi liberado a todos.

“Em todo o projeto, tivemos o apoio da ilegra. Escolhemos a empresa como fornecedor por já conhece-la e por termos tido boas referências de outras companhias que migraram para a nuvem do Google com eles”, ressalta Gonçalves. “Eles assumiram um projeto um pouco diferente das demais migrações realizadas para o Grupo na América Latina, pois fizemos alguns ajustes para nossa unidade, e conduziram bem do início ao fim. Ficamos muito satisfeitos”, completa.

Ainda segundo o especialista a Infraestrutura, a adesão à nuvem é uma constante na Celulose Riograndense, que utiliza cloud computing também para a Nota Fiscal Eletrônica em nuvem, sites externos e o ERP SAP que utiliza.

A Celulose Riograndense é integrante do grupo CMPC e atua no mercado nacional e internacional de celulose de fibra curta de eucalipto. A companhia conta com uma fábrica no município de Guaíba, na região Metropolitana de Porto Alegre-RS, ocupando uma área de 106 hectares.

A empresa gera em sua própria fábrica 80% da energia necessária para produção da celulose, além de gerar energia para seu uso a partir de resíduos do processo de produção da celulose, em quantidade suficiente para atender a uma cidade de 200 mil habitantes.

Já a CMPC é pioneira no Chile na fabricação de celulose e papel. Trata-se de uma das principais empresas na área florestal na América Latina e está presente em mais de 50 países nos 5 continentes. Com mais de 25 fábricas, conta com aproximadamente 8 mil colaboradores operando em 5 áreas de negócios, através das seguintes empresas: CMPC Florestal, CMPC Celulose, CMPC Papéis, CMPC Tissue e CMPC Produtos de Papel.