Dez pontos pra ter em mente quando o assunto for colaboração

Um ambiente de desenvolvimento colaborativo é como um espaço virtual onde os stakeholders de um projeto – mesmo que separados pelo tempo ou espaço – podem se encontrar, dividir angústias, negociar e geralmente trabalhar em conjunto para concluir uma tarefa.

Enquanto o ambiente de desenvolvimento tradicional foca em melhorar a eficiência do desenvolvedor individualmente, ambientes colaborativos de desenvolvimento focam em melhorar a eficiência do time de como um todo.

A colaboração vem sendo usada por anos em outras áreas e há muito a ser aprendido. Aqui está uma lista com dez pontos para ter em mente sobre como o modo como interagimos com o outro se desenvolve.

 

1. O meio deve adequar-se à mensagem. Antes de escolher qual mecanismo de colaboração é melhor -seja ele um portal, uma wiki, um aplicativo de mensagens instantâneas ou o uso de redes sociais  corporativas – saiba que alguns métodos servem melhor para colaboração com superiores, enquanto métodos menos formais podem ser viáveis no desenvolvimento entre iguais.

2. O excesso de comunicação e a inclusão de muitos interlocutores pode prejudicar tanto quanto a falta de comunicação e a exclusão de pessoas da equipe. A colaboração não deve servir como veículo para enfraquecer a posição de alguém da equipe.

3. Estar “presente” não significa estar disponível. As diferentes classificações de presença dos mensageiros instantâneos mostram quando um colega está online, ocupado, ou fora para almoço. Mas, para uma ferramenta colaborativa efetiva, precisamos entender quão intrusiva é nossa comunicação. Uma simples interrogação para um colega pode determinar se ele está disponível antes de disparar uma série de perguntas sobre as quais ele não poderá se debruçar.

4. Simplicidade é a chave para colaboração produtiva. O método de colaboração deve tornar nosso trabalho mais eficiente, não criar novos ciclos. Um grupo de discussão geralmente pode ajudar no avanço do diálogo entre um grupo grande, mas em alguns casos é necessário deslocar a discussão para um grupo menor para alcançar o resultado final.

5. Respeite as diferenças culturais. Como quando viaja para outro país, conheça as diferenças culturais e etiquetas de negócio. Por exemplo, os software de mensageria não são ferramentas de comunicação apropriadas em todos os países e abreviações variam de acordo com a língua. Então, o que pode ser engraçado em uma língua pode ser inaceitável em outra.

6. Construa relações. Ferramentas colaborativas proveem meios de desenvolver relacionamentos e de nutrir contatos profissionais. Nas comunicações inter-pessoais são ideais, mas um mensageiro instantâneo com câmera e vídeo também pode ser tão bom quanto reuniões presenciais, sem aviões.

7. Atente para o que você fala. Ambientes colaborativos preservam informações e ajudam a rastrear pistas e isso inclui todo o conteúdo. A informação compartilhada deveria contribuir para alcançar metas e não para embaraçar alguém.

8. Colaboração não substitui profissionalismo. Independente do método escolhido, padronize práticas e ética do negócio e aplicações profissionais. Posts informais e cartas mal escritas são inaceitáveis.

9. Colaboração alimenta mentoria. Ferramentas de softwares sociais, tais como blogs, taggings e comunidades virtuais podem facilitar que pessoas encontrem e se aproximem de especialistas ou encontrem a informação que precisam e trabalhem de forma colaborativa. Isso ajuda a construir relacionamentos de mentoria já que um aspirante pode ser um participante silencioso na comunidade de um mentor. 

10. Padrões abertos ampliam a colaboração. Assim como nas comunidades open-source, quando o código está disponível para qualquer um usar, redistribuir e melhorar o uso de padrões abertos na criação de ambientes de desenvolvimento colaborativo abre a porta para uma comunidade de benevolência e apoio para melhorar a experiência.

 

Fonte: ComputerWorld